A atuação profissional do bacharel gerontólogo na atenção primária em saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61583/kairs.v26i33.5

Palavras-chave:

Gerontologia

Resumo

O objetivo do presente artigo é discutir as possibilidades de atuação e inserção do profissional bacharel em Gerontologia na Atenção Primária em Saúde (APS) brasileira, discutindo, especificamente, as aplicações da Gerontologia na saúde, a articulação de rede de atenção em saúde e a atuação do gerontólogo no gerenciamento no contexto da APS. Na APS, o bacharel em Gerontologia pode atuar no contexto da macrogestão, no âmbito das Políticas Públicas; na mesogestão, gerindo recursos humanos, materiais e institucionais; e na microgestão, na linha de frente do cuidado às pessoas idosas e famílias.

Referências

André, A. M., & Ciampone, M. H. T. (2007). Competências para a gestão de Unidades Básicas de Saúde: percepção do gestor. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 41(spe), 835-40. https://doi.org/10.1590/S0080-62342007000500017

Baumotte, A. C. T., Fonseca, D. P. D., Silva, L. H. C. M., & Raj, P. P. (2013). Gerenciamento de pessoas em projetos (3a ed.). FGV.

Bezerra, A. F. B., Espírito Santo, A. C. G., & Batista, M., Filho (2005). Concepções e práticas do agente comunitário de saúde na atenção à saúde do idoso. Revista de Saúde Pública, 39(5), 809-15. https://doi.org/10.1590/S0034-89102005000500017

Conselho Nacional de Secretários de Saúde (2004). Acompanhamento e avaliação da Atenção Primária. CONASS Documenta; 7.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. (1988, 5 de outubro). Presidência da República. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

Costa, G. D., Cotta, R. M. M., Ferreira, M. L. S., Reis, J. R., & Franceschini, S. C. C. (2009). Saúde da família: desafios no processo de reorientação do modelo assistencial. Revista. Brasileira de Enfermagem, 62(1), 113-18.

Diogo, M. J. D. (2004). Formação de Recursos Humanos na área da saúde do idoso. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 12(2), 280-2. https://doi.org/10.1590/S0104-11692004000200020

Fausto, M. C. R., & Matta, G. C. (2007). Atenção Primária à Saúde: histórico e perspectivas. In M. V. G. C. Morosini, & A. D'A. Corbo (Orgs.), Modelos de atenção e a saúde da família (pp. 43-67). Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz. https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/39171

Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. (2003, 3 de outubro). Dispõe sobre o Estatuto da Pessoa Idosa e dá outras providências. (Redação dada pela Lei nº 13.423, de 2022). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm

Lima, A. M. M. (2009). Graduação em Gerontologia : da inovação pedagógica à formação da identidade profissional do gerontólogo. Revista Kairós, 12(4), 19- 31. https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/2525

Linhares, C., Coelho, V. L. D., Guimarães, R. M., Campos, A. P. M., & Carvalho, N. T. (2003). Perfil da clientela de um ambulatório de geriatria do Distrito Federal. Psicologia: Reflexão e Crítica, 16(2), 319-26. https://doi.org/10.1590/S0102-79722003000200012

Lopes, A. (2000). Os desafios da gerontologia no Brasil. Alinea.

Medeiros, K. K. A. S., Pinto, E. P., Jr., Bousquat, A., & Medina, M. G. (2017). O desafio da integralidade no cuidado ao idoso, no âmbito da Atenção Primária à Saúde. Saúde em Debate, 41(spe 3), 288-95. https://doi.org/10.1590/0103-11042017S322

Melo, R. C., Silva, T. B. L., & Cachioni, M. (2015). Desafios da formação em Gerontologia. Revista Kairós Gerontologia, 18(19), 123-47. https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/27261

Ministério da Saúde. (2000). Cadernos de Atenção Básica: Programa Saúde da Família. Secretaria de Políticas de Saúde, Departamento de Atenção Básica. (Caderno 3 – Educação Permanente). https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/educacao_permanente_cab3.pdf

Ministério da Saúde. (2007). Cadernos de Atenção Básica: Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Ministério da Saúde. (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Básica, n. 19). https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/evelhecimento_saude_pessoa_idosa.pdf

Ministério da Saúde. (2014). Caderneta de saúde da pessoa idosa (2a ed.). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada e Temática (DAET). https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderneta_saude_pessoa_idosa_3ed.pdf

Motta, L. B. D., Aguiar, A. C. D., & Caldas, C. P. (2011). Estratégia Saúde da Família e a atenção ao idoso: experiência em três municípios brasileiros. Cadernos de Saúde Pública, 27(4), 779-86. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2011000400017

Oliveira, L. P. V. (2019). Gestão das Unidades Básicas de Saúde do Município de Natal/RN: um estudo à luz do princípio do Sistema Único de Saúde [Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal do Rio Grande do Norte]. BDM - Biblioteca Digital de Monografias. https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/41577

Organização Mundial da Saúde. (1978, 12 de setembro). Declaração de Alma-Ata. Conferência Internacional sobre Cuidados Primários de Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/declaracao_alma_ata.pdf

Peduzzi, M., Del Guerra, D. A., Braga, C. P., Lucena, F. S., & Silva, J. A. M. D. (2009). Atividades educativas de trabalhadores na atenção primária: concepções de educação permanente e de educação continuada em saúde presentes no cotidiano de Unidades Básicas de Saúde em São Paulo. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 13(30), 121-34. https://doi.org/10.1590/S1414-32832009000300011

Pereira, F., & Caria, T. (2013). Saberes profissionais e trabalho profissional do gerontólogo. International Journal of Developmental and Educational Psychology, 1(2), 81-90. https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=349852060007

Pereira, F., Mata, M., & Pimentel, M. (2012). A emergência da gerontologia como profissão e o seu reconhecimento social em Portugal. Atas do V Encontro do CIED (pp. 179-85). https://bibliotecadigital.ipb.pt/handle/10198/8974 Pertence, P. P., & Melleiro, M. M. (2010). The implementation of a quality management tool at a university hospital. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 44(4),1020-26. https://doi.org/10.1590/S0080-62342010000400024

Placideli, N., & Castanheira, E. R. L. (2017). Atenção à saúde da pessoa idosa e ao envelhecimento em uma Rede de Serviços de Atenção Primária. Revista Kairós Gerontologia, 20(2), 247-69. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2017v20i2p247-269

Placideli, N., & Ruiz, T. (2015). Educação continuada em gerontologia para agentes comunitários de saúde. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 10(36),1-10. https://doi.org/10.5712/rbmfc10(36)948

Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. (2017, 22 de setembro). Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Ministério da Saúde. https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/19308123/do1-2017-09-22-portaria-n-2-436-de-21-de-setembro-de-2017-19308031

Portaria nº 2.528, de 19 de outubro de 2006. (2006, 20 de outubro). Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Ministério da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt2528_19_10_2006.html

Ramos, L. R. (2003). Fatores determinantes do envelhecimento saudável em idosos residentes em centro urbano: Projeto Epidoso, São Paulo. Caderno de Saúde Pública, 19(3), 793-8. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2003000300011

Salmazo-Silva, H., & Lima, A. M. M. (2012). Gestão da atenção ao idoso: possibilidades e desafios no campo da Gerontologia. Revista Kairós Gerontologia, 15, 503-14. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2012v15iEspecial13p503-514

Starfield B. (2002). Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Unesco, Ministério da Saúde. https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/0253.pdf

Downloads

Publicado

2023-12-23

Como Citar

Bonilha, A. C., Rodrigues Mota, C., Roza Quintans, J., Placideli Ramos, N., & Cruz de Barros, T. (2023). A atuação profissional do bacharel gerontólogo na atenção primária em saúde. KAIRÓS-GERONTOLOGIA, 26(33). https://doi.org/10.61583/kairs.v26i33.5

Edição

Seção

Artigos