Apontamentos sobre as atribuições e responsabilidades do bacharel em Gerontologia

Autores

Palavras-chave:

Gerontologia, Profissão, Classificação Brasileira de Ocupações

Resumo

O objetivo deste artigo é sistematizar e descrever algumas das atribuições contidas na Classificação Brasileira de Ocupação, mais especificamente no que tange ao bacharel em Gerontologia (código 1312.20). Trata-se de um estudo documental, de natureza descritivo-analítica, no qual se evidenciam-se alguns recortes históricos sobre a formação do profissional no cenário brasileiro, seguido de uma descrição analítica sobre as principais atribuições, com ênfase na gestão, um dos eixos centrais da formação profissional.

Referências

Albornoz, M. (2007). Los problemas de la ciência y el poder. Revista CTS, 3(8), 47-65. http://www.revistacts.net/volumen-3-numero-8

Almeida, E. B., Lima- Silva, T. B., Suzuki, M. Y., Martins, D., Ordonez, T. N., & Salmazo-Silva, H. (2012). Gerontologia: práticas, conhecimentos e o nascimento de um novo campo profissional. Revista Temática Kairós: Gerontologia,15(6), 489-501.

Cerezo, J. A. L. (2002). Ciência, Tecnologia e Sociedade: o estado da arte na Europa e nos Estados Unidos. In L. W. Santos (Org.), Ciência, tecnologia e sociedade: o desafio da interação (pp. 3-38). IAPAR.

Classificação Brasileira de Ocupações. (s/d). Informações gerais. Ministério do Trabalho. http://www.mtecbo.gov.br/cbosite/pages/pesquisas/ResultadoOcupacaoMovimentacao.jsf

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. (1988, 5 de outubro). Presidência da República. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

Doll, J., Ramos, A. C. & Buaes, C. S. (2015). Educação e Envelhecimento. Educação & Realidade, 40(1), 9-15. https://doi.org/10.1590/2175-623652407.

Galera, S. C., & Costa, E. F. A. (2017). Ensino Médio em Geriatria e Gerontologia. In E. V. Freitas, & L. Py, Tratado de Geriatria e Gerontologia (4a ed., pp. 340-359). Guanabara Koogan.

Groisman, D. (2002). A velhice, entre o normal e o patológico. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, 9(1), 61-78. https://doi.org/10.1590/S0104-59702002000100004

Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994. (1994, 5 de janeiro). Dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8842.htm

Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. (1993, 23 de dezembro). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Presidência da República. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. (2003, 3 de outubro). Dispõe sobre o Estatuto da Pessoa Idosa e dá outras providências. (Redação dada pela Lei nº 13.423, de 2022). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm

Lima, A. M. M. (2009). Graduação em Gerontologia: da Inovação Pedagógica à Formação da Identidade Profissional do Gerontólogo. Revista Kairós: Gerontologia, 12(Especial 4), 19-31. (Caderno Temático 4). https://doi.org/10.23925/2176-901X.2009v12iEspecial4p%25p

Lima-Silva, T. B., Santos, A. N. M., Almeida, E. B., Suzuki, M. Y., Baptista, R. V., Ordonez, T. N., & Salmazo-Silva, H. (2020). Plano de Gestão Gerontológica: a atuação do Gerontólogo e da Associação Brasileira de Gerontologia (ABG) em tempos de Quarentena da COVID-19. Revista Kairós: Gerontologia, 23(Especial 28 - COVID-19 e Envelhecimento), 333-54. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2020v23i0p333-354

Ministério da Saúde. (2010). Atenção à Saúde da Pessoa Idosa e Envelhecimento. (Série B. Textos Básicos de Saúde). (Série Pactos pela Saúde 2006, v. 12). https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_saude_pessoa_idosa_envelhecimento_v12.pdf

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (2005). Política Nacional de Assistência Social - PNAS/ 2004. Norma Operacional Básica - NOB/SUAS. https://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/PNAS2004.pdf

Odebrecht, C., Gonçalves, L. O., & Sell, I. (2021). Da Gerontologia a gerontecnologia. Portal do envelhecimento. http://www.portaldoenvelhecimento.com/acervo/artieop/Geral/artigo140.htm.

Orlandi, B. D. M., & Pedro, W. J. A. (2014). Pessoas idosas e a busca por informações em saúde por meio da internet. Revista Kairós: Gerontologia, 17(2), 279-93. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2014v17i2p279-293

Paim, P. Projeto de Lei do Senado n° 334, de 2013 (2013-2017). Dispõe sobre o exercício da profissão de Gerontólogo e dá outras providências. Senado Federal.

Paim, P. Projeto de Lei do Senado n° 9.003, de 1º de novembro de 2017). Dispõe sobre o exercício da profissão de gerontólogo, institui o Dia Nacional do Gerontólogo e dá outras providências. Senado Federal.

Palacios, E. M. G., Galbarte, J. C. G., Cerezo, J. A. L., Luján, J. L., Gordillo, M. M., Osorio, C., & Valdés, C. (Orgs). (2001). Ciencia, Tecnología y Sociedad: una aparoximación conceputal. Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciência y la Cultura (OEI). https://www.gub.uy/ministerio-educacion-cultura/sites/ministerio-educacion-cultura/files/documentos/publicaciones/ciencia_tecnologia_sociedad.pdf

Pavarini, S. C. I., Barbam, E., & Filizola, C. L. A. (2009). Gerontologia como profissão: o Projeto Político-Pedagógico da Universidade Federal de São Carlos. Revista Kairós: Gerontologia, 12(Especial 4), 83-94. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2009v12iEspecial4p%25p

Pedro, W. J. A. (2016a). Aging process assets and social dimensions of science and technology (keynote). In C. S. Santana, & M. S. Bernardes (Eds.), Proceedings of the 1st Brazilian Congress of Gerontechnology, 15(2), 71-72. https://journal.gerontechnology.org/archives/7a2872ad043c42f5b3d6e93fdcaf9c83.pdf

Pedro, W. J. A. (2021). Em defesa de uma ciência interdisciplinar. In A. Premebida. Entrevista com Wilson José Alves Pedro (pp. 6-13). Tecnociência e democracia em tempos de pandemia - CTS em foco n. 2; Boletim ESOCITE.br. http://www.esocite.org.br/wp/wp-content/uploads/2021/02/CTS-em-foco-n-24.pdf

Pedro, W. J. A. (2012). Gênero, tecnologia e envelhecimento: compartilhando experiências e reflexões. In: D. Galindo, & L. L. Souza (Orgs.). Gênero e tecnologias. Tecnologias e gênero. Estudos, pesquisas e poéticas interdisciplinares. Cuiabá MT: Editora da Universidade Federal do Mato Grosso. (v. 1, p. 117-134)

Pedro, W. J. A. (2016b). Processos de envelhecimento ativo e algumas dimensões sociais da ciência e da tecnologia. Medicina (Ribeirão Preto), (49), 6-7

Pedro, W. J. A. (2013). Reflexões sobre a promoção do Envelhecimento Ativo. Revista Kairós: Gerontologia, 16(3), 9-32. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2013v16i3

Pedro, W. J. A., Sousa, C. M., & Ogata, M. N. (2018). Ciência, Tecnologia e Sociedade. In D. Mill (Org), Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a distância (pp. 98-101). Papirus.

Pedro, W. J. A., & Ogata, M. N. (2008). Ciência, tecnologia e inovação em saúde: Um estudo de caso junto a profissionais de saúde. In C.M. Souza, & M. C. P. I. Hayashi (Orgs.), Ciência, Tecnologia e Sociedade: Enfoques teóricos aplicados (pp. 267-289).

Portaria nº 397, de 09 de outubro de 2002. (2002, 9 de outubro). Aprova a Classificação Brasileira de Ocupações - CBO/2002, para uso em todo território nacional e autoriza a sua publicação. Ministério de Estado do Trabalho e Emprego. http://www.mtecbo.gov.br/cbosite/pages/legislacao.jsf

Portaria nº 2.528, de 19 de outubro de 2006. (2006, 20 de outubro). Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Ministério da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt2528_19_10_2006.html

Salmazo-Silva, H., Lima-Silva, T. B., Barros, T. C., Oliveira, E. M., Ordonez, T. N., Carvalho, G., & Almeida, E. B. Vulnerabilidade na velhice: definição e intervenções no campo da Gerontologia. Revista Temática Kairós Gerontologia, 15(6), 97-116.

Santos, C. H. S., Oliveira, C. C., Facci, L. L., & Kusiak, V. A. (2019). A interdisciplinaridade na administração pública: uma visão latino americana. Anais do Congresso Internacional de Desempenho do Setor Público – CIDESP,Florianópolis, SC, Brasil, 3. http://www.cidesp.com.br/index.php/Icidesp/3cidesp/paper/view/704/358

Silva Rosario, N. M. da. (2021) Dimensões da ciência e tecnologias e suas interfaces na atuação do Bacharel em Gerontologia. [Dissertação de Mestrado]. Programa de pós-graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedade. Universidade Federal de São Carlos/UFSCar. https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/15445/Dimens%C3%B5es%20da%20ci%C3%AAncia%20e%20tecnologia%20e%20suas%20interfaces%20na%20atua%C3%A7%C3%A3o%20do%20Bacharel%20em%20Gerontologia%20-%20NATALIA%20ROSARIO.pdf?sequence=1

Universidade Federal de São Carlos. (2018). Curso de Graduação: Gerontologia. Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Gerontologia da Universidade Federal de São Carlos. https://www.gerontologia.ufscar.br/pt-br/media/arquivos/graduacao/projeto pedagogico-gerontologia.pdf

Downloads

Publicado

2023-12-23

Como Citar

da Silva Rosario, N. M., & Alves Pedro, W. J. (2023). Apontamentos sobre as atribuições e responsabilidades do bacharel em Gerontologia. KAIRÓS-GERONTOLOGIA, 26(33). Recuperado de https://kairosgerontologia.com.br/index.php/kairos/article/view/30

Edição

Seção

Artigos