A importância do olhar gerontológico na gestão do Centro-dia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61583/kairs.v26i33.19

Palavras-chave:

cuidado de longa duração, equipamento social, cuidado

Resumo

O Centro Dia Para Idosos é um equipamento que atende pessoas idosas que apresentam dificuldade para exercer suas atividades de vida diária de forma independente. Este artigo foi escrito por profissionais com experiência na gestão de Centros Dia público, privado e filantrópico e apresentam considerações teóricas e práticas para quem tem interesse em investir neste setor. Conclui-se que o gerontólogo é o profissional ideal para atuar na gestão e coordenação deste equipamento, pois apresenta visão multidisciplinar e promove um cuidado integral às pessoas idosas e seus familiares.

Referências

Debert, G. G. (2012). A Reinvenção da Velhice: Socialização e Processos de Reprivatização do Envelhecimento. Editora Universidade de São Paulo, FAPESP.

Duarte, Y. A. O., D’Elboux, M. J., & Berzins, M. V. (2017). Cuidadores de Idosos. In E. V. Freitas, & L. Py, Tratado de Geriatria e Gerontologia (4a ed., pp. 2888-2907). Guanabara Koogan.

Fiorini, M. C., & Guisso, L. (2016). Teoria familiar sistêmica: restrospectiva história e perspectivas atuais. Portal dos Psicólogos. https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A1009.pdf

Floriano, J. C., & Lozeckyi, J. (2008). A importância dos instrumentos de controle interno para a gestão empresarial. Unicentro – Revista Eletrônica Latu Sensu, 5,1-8. http://moodle.fgv.br/cursos/centro_rec/docs/importancia_instrumentos_controle_interno.pdf

Garcés, J., Carretero, S., Ródenas, F., & Alemán, C. (2009). A revew of progra,ms to alleviate the burden of informal caregivers of dependente persons. Archieves of gerontology and geriatrics, 50(3), 254-9. https://doi.org/10.1016/j.archger.2009.04.012

Gishitomi, T. A., Gutierrez, B. A. O., & Chubaci, R. Y. S. (2017). O significado de Centro Dia no olhar dos familiares de idoso: uma abordagem qualitativa da Fenomenologia Social. In M. L. Bestetti& B. Graeff (Orgs.), Habitação e cidade para o envelhecimento digno (v. 1, pp. 153-176). Portal do Envelhecimento Edições.

Maio, I. G. (2016). Pessoa idosa dependente: políticas públicas de cuidados intermediários ao idoso no Brasil e a atuação do Ministério Público. Juruá.

Manthorpe, J., & Moriaty, J. (2014). Examining day center provision for people in the UK using the Equality Act 2010: findings of a scoping review. Health & social care in the community, 22(4), 352-60. https://doi.org/10.1111/hsc.12065

Maseda, A., Gonzéles-Albrades, I., Labra, C., Marey-López, J., Sánchez, A., & Millán-Calenti, J. C. (2015). Risck Factors of High Burden Caregivers of Dementia Patients Institucionalized at Day-Care Cetres. Community mental health journal, 51(6), 753-9. https://doi.org/10.1007/s10597-014-9795-7

Organização Mundial da Saúde (2015). Relatório mundial de envelhecimento e saúde - Resumo. Envelhecimento saudável (pp.13-14). https://sbgg.org.br/wp-content/uploads/2015/10/OMS-ENVELHECIMENTO-2015-port.pdf

Portaria nº 5, de 11 de janeiro de 2019. (2019, 12 janeiro). Aprova o Regulamento Técnico que estabelece as normas sanitárias de funcionamento dos Centros Dia para pessoas idosas, públicos ou privados. Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo. http://legislacao.prefeitura.sp.gov.br/leis/portaria-secretaria-municipal-da-saude-sms-5-de-11-de-janeiro-de-2019/consolidado

Portaria nº 65, de 27 de dezembro de 2016. (2016, 28 dezembro). Altera a Portaria n° 46/SMADS/2010 e a Portaria n° 47/SMADS/2010 - Tipifica a rede socioassistencial do Município de São Paulo e a Regulação de Parceria operada por meio de convênios. Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social – SMADS. https://www.imprensaoficial.com.br/DO/BuscaDO2001Documento_11_4.aspx?link=%2f2016%2fdiario%2520oficial%2520cidade%2520de%2520sao%2520paulo%2fdezembro%2f28%2fpag_0021_2VCGH1PSA0013e2TNIDJEL8G5B8.pdf&pagina=21&data=28/12/2016&caderno=Di%C3%A1rio%20Oficial%20Cidade%20de%20S%C3%A3o%20Paulo&paginaordenacao=100021

Portaria nº 73, de 10 de maio de 2001. (2001, 14 maio). Normas de funcionamento de serviços de atenção ao idoso no Brasil. Ministério da Previdência e Assistência Social. Secretaria de Estado de Assistência Social. https://vozdaexperiencia.mpba.mp.br/wp-content/uploads/2019/07/Portaria-SEAS-73-2001-SERVICOS-DE-ATENCAO-AO-IDOSO.pdf

Resolução nº 836, de 29 de julho de 2014. (2014, 5 agosto). Dispõe sobre aprovação do serviço Centro Dia para Idoso. Conselho Municipal de Assistência Social da cidade de São Paulo. https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/assistencia_social/comas/res14/836.pdf

Rotondaro, R. G. (Coord.). (2002). Seis Sigma: Estratégia Gerencial para melhoria de processos, produtos e serviços (pp. 11-46). Atlas.

Treviño, C. D., Tejedor, F. M., Vidal, J. T., & Andrés, P. P. (2011). Centros de dia municipales: modelos de ateción. Área de Gobierno de Familia y Servicios Sociales; Ayuntamiento de Madrid.

Veras, P. R., Caldas, P. C, Motta, B. L., & Lima, C. K. (2014). Integração e continuidade do cuidado em modelos de rede de atenção à saúde para idosos frágeis. Revista de Saúde Pública, 48(2):357-65. https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048004941

Werkema, M. C. (2002). Criando a Cultura Seis Sigma (v. 1, p.13-45). Qualitymark.

Downloads

Publicado

2023-12-23

Como Citar

Kanashiro Sato, C., Barbosa Yamaguchi, M., Yuri Suzuki, M., & Andrade Alvarez, T. (2023). A importância do olhar gerontológico na gestão do Centro-dia. KAIRÓS-GERONTOLOGIA, 26(33). https://doi.org/10.61583/kairs.v26i33.19

Edição

Seção

Artigos Originais